Google Translator

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Assim, em jeito de intimidades...


Hoje, deu-me para partilhar segredos. Contigo, naturalmente. Afinal, mas quem disse que o amor deve ser um segredo??! É assim: faz hoje mais ou menos um ano, que na varanda de um hotel algures, escreveu desta forma, um moço dessas ilhas - para ti:

"Bb, achei muito linda esta crónica. Senti saudades de ficar ali vendo vc acordar todos os dias, os teus olhinhos abrindo-se lentamente que mais parecem um poema que se descobre com suavidade dia após dia... Eu te adoro. Agora, nesta distância de dias, neste rumor de solidão que me aperta cada vez que acordo e não te encontro a meu lado, nesta folha em branco onde deveria ter escrito o poema, sinto cada vez mais que eu te adoro. Assim, com doçura, com a suavidade de uma aragem que nos acaricia a pele do rosto numa tarde morna de Fajã ou na varanda de Nho Ménel de Altomira. Eu te adoro... Não assim esta paixão louca que vem e que vai num ai antes que se volte a encher a taça de vinho. Não assim esta coisa indomável de uma noite de sexo, suor, gritos, gemidos e o adeus na madrugada. Não assim um poema artificialmente construido, a nota de violão pré-definida, o sorriso treinado mil vezes ao espelho. A minha adoração por ti é algo subtil e verdadeiro como um poema inesperado, tem a magia e a tranquilidade de um sorriso teu quando me esperas depois do trabalho. É algo amigo, doce, companheiro, ombro, mãos que me percorrem o corpo e tranquilizam angústias, abraço que me alimenta os mil sonhos com que enfeito os dias. Hoje, daqui da varanda de um hotel em Dacar, distante de ti, perto de ti, só queria te abraçar de mansinho e te dizer bem devagar no teu ouvido: bo cre casà ma mi? Quero te ver a acordar, assim bela, todos os dias restantes da minha vida..."


(Foto de PD)

3 comentários:

Arsénio disse...

Mister,
esse te fort prop.
Mais uma prova de que o crioulo é romântico.
Arsénio Gomes.

Anónimo disse...

Lindo… verdadeiro e sentido.
É uma dádiva poder passar para o papel o que nos vem na alma, principalmente para expressar um sentimento tão grande como o AMOR.

V.

Anónimo disse...

Lá dizia S. Agostinho que 'a medida do amor é amar sem medida'. Ou mais prosaicamente mas com igual profundidade, como diz a minha mulher, AMOR E BUNITU!!!
Ab