Google Translator

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Penso, logo existo!

(“Macaquinha da esplanada do Pelourinho em Cidade Velha” – foto de PD)

2 comentários:

Anónimo disse...

O neurologista António Damásio, atravéz d'"O Erro de Descartes" vem argumentar que não é bem assim. É interessante.

http://en.wikipedia.org/wiki/Descartes'_Error

kakabarboza disse...

Paulino vi para o Santxu, ocorreu-me logo uma curta estória.
Tinhamos um macaco em casa, amarrado pela cintura ao pessegueiro. Um auxiliar nosso disse-me: sabes porque é o santxu não é animal doméstico?
Ele é santxu e macaco ao mesmo tempo. Duas coisas num só animal não dá. Com qual deles é que uma pessoa conta? Estás a ver...