Google Translator

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Cabo Verde em 2025?

Uma perguntinha...


... como vêem Cabo Verde em 2025?

Atenção: ao contrário do meu vizinho margoso, eu não vou oferecer um café à melhor resposta. Porque não há respostas melhores ou piores - há, sim, expectativas, sonhos, ambições. Com que construímos futuro.

Bom final de semana a tod@s!

(Foto copiada aqui)

5 comentários:

Anónimo disse...

Lembrou-me agora os textos de Lucien Malin!Praia no ano de 2000. És desse tempo com certeza rsrsrs! Espero um Cabo Verde orgulhoso de ser Cabo Verde - sua língua,suas gentes, sua forma de ser e estar, "capaz" de alimentar os sonhos de suas gentes e também de dar condições para que sejam concretizadas. Um Cabo Verde mais solidário e que o desenvolvimento não nos leve nossa morabeza, nosso sentido de comunidade... e não traga mais pobreza de espírito e violencia... tanta coisa... e ja agora coloco-me a pensar o que faço para que seja assim... abraço!

Álvaro Ludgero Andrade disse...

Em 1991, quando iniciámos a aventura do jornal A Semana, preparámos um texto sobre a invasão chinesa de CAbo Verde e para o ilustrar tínhamos uma foto de uma praia de chineses com a legenda; Prainha no ano 2000. Não publicamos o texto porque a notícia não se confirmou. Se a tivéssemos publicado...!!!??? Sempre é bom ver na frente, como dizia um "sábio" das ruas de Mindelo: pa frent é k ta pa diant. Mantenhas e bom fim de semana.

Paulino Dias disse...

Alô anónimo(a)

Sim, lembro-me agora do Lucien Malin e da sua ponte interligando todas as ilhas... Ou da sua bicicleta que subia escadas ....rs. Obrigado pela sua visita, gostei muito da forma como fechou o seu comentário...

Alô Alvaro,
Thanks pela visita - andas desaparecido de QC, pá!

Abraço,

Amilcar Aristides - TIDI disse...

Paulino a tua questão dá que pensar. Uma boa forma é ver o ritmo de mudança dos ultimos 14 anos e perspectivar os próximos 14. Estamos a crescer embora nem tudo seja dourado. A sociedade está mais complicada mas temos mais dinâmica mais infra-estrutura e estamos menos frágeis em alguma coisas. Noutras estamos mais frageis. Sem querer ser advinho creio que teremos uma sociedade mais diversificada com mais problemas sociais e mt mais complexa. Em alternativa ao que vamos ser é pensarmos o que queremos ser e apartir daqui trabalharmos em conjunto para alcançarmos essa visão. Bali.

Paulino Dias disse...

Alô Tidi,

Thanks pela visita e pelas palavras, sempre oportunas e "no ponto"!

Um abraço,