Google Translator

domingo, 24 de outubro de 2010

Já estou a ficar cansado...

... e ainda as datas das eleições nem foram marcadas!

Sério, pá!, estou a ficar cansado dos discursos, das palavras ocas, dos mundos que ou são pretos ou são côr-de-rosa (como se não tivéssemos o discernimento de confirmar por nós próprios). Irrita-me já os outdoors espalhados pelas ilhas e que me limitam a vista para a poesia do azul do mar, sabe-me a alguma hipocrisia os sorrisos de ocasião e os braços que se abrem para nos alojar como se tivéssemos sido a vida inteira cómpas de copo & bafa, caramba...

A minha mente não é campo de batalha, meus senhores. Muito menos espaço vazio onde (acham que) podem jogar toda a casta de porcaria em busca do meu alinhamento. A minha mente pensa, bolas! Escusam-se portanto de me enfiarem slogans elegantes goela abaixo, agradeço me pouparem dos e-mails ora verdes ora amarelos que me vêm enchendo a caixa de correio (já agora, apago-os sem os ler...), não tentem sequer me manipular com os vossos números e as vossas estatísticas, digo-vos!

Compreendo que estão a cumprir o vosso papel. Afinal, é a política, e há que catar votos para as próximas eleições... Para que fique claro que eu não sou contra a política nem os políticos: são elementos cruciais para a nossa vivência enquanto seres sociais. E, quando praticada com seriedade e elevação de espírito, a política é sem dúvida uma actividade nobre e útil. E o meu voto é - mais do que obrigação - direito sagrado: faça Sol ou faça chuva, lá estarei no dias das eleições para escolher quem irá governar este país em meu nome. A quem vou delegar o poder de tomar decisões que vão afectar a minha vida enquanto cidadão. Ah!, disso não abro mão!!!!

Por isso, para vos facilitar a vida na (dura) tarefa que têm pela frente para conquistar o meu voto, permitam-me deixar aqui algumas informações básicas, à laia de "termos de referência" para as eleições que se aproximam:

1. Eu não voto em partidos: voto em VALORES e ATITUDES. Isso é condição sine qua non para merecer a minha confiança e o meu voto. Valores correctos. Atitudes certas. Não me venham, pois, com rostos duplos: o rosto do político empedernido e discursos inflamados na Assembleia e o rosto que bate na mulher entre quatro paredes ou que "surrupia" electricidade no posto da esquina. O rosto que aprova leis de segurança na estrada e o rosto que passa por mim na avenida sem cinto de segurança e a falar no telemóvel. O rosto exalando seriedade sobre a gravata hermés no atelier-de-validação-de-qualquer-coisa e o rosto que na quietude da noite violenta a ingenuidade de menininhas de 15 e 16 anos em troca de patacos. Não me venham, portanto, com essas tretas, meus senhores e minhas senhoras! Para mim há apenas UM rosto no político que há-de conquistar o meu voto. A isso chamo ÉTICA e COERÊNCIA!

2. Eu não voto em bandeiras: voto em PESSOAS. Em competências técnicas reconhecidas, capazes de identificar e hierarquizar os problemas de Cabo Verde, construir soluções sustentáveis a longo prazo, mobilizar os recursos necessários e implementar acções concretas para melhorar a vida dos caboverdeanos.

3. Eu não voto em passados: voto no FUTURO. Que saibamos reconhecer o trabalho feito, sem dúvida. Mas por si só não conquistarão o meu voto, vou logo avisando. Quero, antes, saber o que pretendem fazer com o futuro deste país, com o MEU futuro. Por isso, escusam-se de perder o vosso tempo comigo alardeando o que cada um fez ou deixou de fazer... Falem-me, sim senhor, das vossas ideias para o meu futuro. As vossas propostas. As vossas soluções. O que VÃO FAZER nos próximos 5 anos.

4. Eu não voto em problemas: voto em propostas de SOLUÇÕES. Concretas, objectivas, estruturadas, com recursos devidamente alocados. Assim, não me façam perder tempo com retóricas vazias e dedos apontados. Quero antes soluções. O que propõe de concreto para o crescimento económico e distribuição de renda. A saúde, segurança e educação (a todos os níveis). As infraestruturas. O que pretendem fazer com a nossa cultura. A nossa memória colectiva. A juventude. O desporto. A agricultura e a pesca. Quais as soluções para que não me morram mais Eduardos e Bóias e Manecas nas ribeiras da minha ilha... Soluções, portanto. O resto passar-me-á ao lado, devidamente ignorado, aviso.

Já estou a ficar cansado destes discursos, dizia...

7 comentários:

JB disse...

Muito bom, Paulino. Abraço

Ivan Santos disse...

Ás vezes parece que nos tratam de marionetes, não é!??Pois que fique bem claro que NÃO!!!
Abrasu

Ivan Santos

Anónimo disse...

Soberbo, pá, diria mesmo que é uma boa cartilha eleitoral, os partidos do arco do poder têm aqui a papinha toda e só aproveitar, escusavam gastar tanta massa de proveniências duvidosas, de conivência e compromissos pós eleitoral, gostei e revejo-me nesta explanação pertinente e sublime!
B.B.L

Paulino Dias disse...

Alô JB,
Thanks pela visita.

Caro Ivan,
Obrigado pela visita e pelo coment. Não podemos permitir isso. Voto em consciência!

Caro BBL,
Obrigado pela visita - vamos enriquecer e divulgar esses "termos de referência"? rsssss

Álvaro Ludgero Andrade disse...

Prezado, o comentário que fiz ontem era referente a este post e não do "velho Jota", mas é interessante notar que serviu para os dois. Gosto de entender e apreender as rugas dos mais velhos, digo que são os caminhos da sabedoria.

Mantenhas

MRVADAZ disse...

Paulino,

Vendo as coisas deste ponto de vista, não vais votar em ninguém em Cabo Verde! Estou errado?

Paulino Dias disse...

Caro MRVADAZ,

Thanks pela visita e pelo comentário. Respondendo à tua pergunta, votar eu vou votar sim. Não sou assim tão pessimista em relação aos nossos políticos e governantes eh eh eh eh. Ou, pelo menos, tento não ser.

O que quis é estabelecer algumas "regrinhas" que, na parte que me toca (como eleitor), os candidatos devem seguir se quiserem garantir o meu voto. E sublinhar que tudo o resto será secundário.

Um abraço, volte sempre!