Google Translator

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Desabafo


Carrego comigo esta irremediável ânsia de partir. De me libertar das amarras e voar como um pássaro. Flutuar sobre o tempo, a memória, e o gesto interrompido. Esvaziar-me. Como um moço doido.
.
Estive sempre de partida. Estarei sempre de partida. A partida em mim é uma constante como um poema inacabado. Estou em todos os lugares e não sou de lugar nenhum. Vôo, simplesmente. Irremediavelmente.
.
.
("Groguinha - o vôo do anjo", fotos de Paulino Dias)

8 comentários:

Eurídice Furtado Monteiro disse...

Olá Lino

Fiquei curiosa/preocupada com o voo do anjo, imaginando a terceira fotografia: 1) registando a queda “pláaa” do anjo num tanque cheio de água (verdinha). Essa posição de partida para um voo dói bastante na hora da aterragem, quer dizer da queda. Entretanto, o que vale é a intenção, ou seja, o voo... risos!!!
Bjs
Eury

Paulino Dias disse...

Alô, Eury!

A terceira fotografia não existe. Propositadamente. Para dar a cada leitor a opcção de continuar mentalmente a sequência, conforme sua interpretação ou sua própria necessidade. Portanto, podes retomar o vôo e sobrevoar o vale, a ribeira, os pés de cana, os picos da montanha ao fundo, etc. Ou mergulhar no tanque para sentir a água morna de agosto.

Enfim, quis ser consistente com esta minha própria ambição de liberdade...rs.

Abração,

Criziany disse...

Oi
Sou amiga da Eurídice.
Acabei de ver o seu blog e gostei das imagens de Cabo Verde.

Quero conhecer o vosso país.

Um abraço

Paulino Dias disse...

Oi, Criziany, tudo bem?

Obrigado pelo comentário. Será sempre bem vinda aqui em Cabo Verde. Tenho certeza que vais gostar. Mas não deixes de visitar a minha ilha Santo Antão.

Abraço

Jairzinho disse...

Olá de casa! Posso entrar? Já entrei.

Sou Jairzinho. Gostei da tua reacção ao meu texto no blog da Eurídice.
Quanto a este texto, compreendo-te muito bem. Alguém já disse que se Deus quisesse que o homem voasse o criaria com assas. A verdade é que não nos tendo criado com asas, criou-nos com o desejo, com a vontade, expressão do ser. Isto não é um filosofema ou figura de retórica, é aquilo que nos define quando somos de verdade - a vontade livre. Sem vontade livre ninguém voa. Voa rapaz, voa. Voa nas asas do desejo; voa contra os estereótipos e modus operandi.

Já agora convido-te para uma visita ao http://acontumaciadaexistencia.blogspot.com/

Força aí!

Paulino Dias disse...

Valeu, Jairzinho!

P.S1. - gostei do teu blog, deixei-te lá um coment.


Abraços

HFerro disse...

Oi Paulino Tud Dret?
Grande voou..e grande maluco também,(claro, no bom sentido)
Pena não teres completado a sequência, pois fiquei curioso para ver como foi a entrada na agua.5 estrela, um verdadeiro salto d'anjo.Aproveito, pois esqueci-me de lhe agradecer o link que colocaste para o meu blog.O teu blog ta muito bom, vou passar mais vezes.Obrigado

Mantenhas

Paulino Dias disse...

Valeu, Ferro!

Thanks pelo coment. Sobre a sequência das fotos, veja a minha resposta acima à mesma solicitação da Eury. Fica a critério de cada um completar mentalmente a sequência. Mas vou te dizer: o mergulho foi espectacular, naquela tarde de agosto lá no tanque de Marrador (Ribeira da Torre, Santo Antão).

Abraço,