Google Translator

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Eu, divagações...


1

Endoidece,
esta lua cheia no teu rosto.

E em mim.


2

Tudo estava perfeito:
o verde, a música,
a velha cassete de poemas no toca-fitas do carro,
a tarde e o teu sorriso…

Faz-me feliz o teu sorriso doce.


3

Passeia-me no rosto a brisa nocturna da marginal.
O cheiro é de mar. E poesia.

Penso em ti. Inesperadamente.
Acompanho ao longe as luzes de um navio
que está de partida.
Lembra-me a minha alma, o navio:
também de partida – sempre sempre! –
à tua procura…

Penso em ti.
Com o mar da Laginha nos meus tornozelos.

Penso em ti.
Como um poema…


4

Sabe-me bem
o café depois do jantar.

Toca-se “A mi jam cria ser poeta”
no pequeno palco do restaurante.
Fecho os olhos à procura de sinais no teu rosto.

Bem-me-quer,
mal-me-quer,
bem-me-quer,
mal-me-quer…

Penso em ti.


5

10h e 32 minutos
de um sábado qualquer na ilha.

Mal-me-quer,
mal-me-quer.

Penso em ti.

Mesmo depois da ressaca
e do silêncio que se fez de repente.

“De repente, não mais do que de repente”
- dizia-me o Vinicius no outro lado da mesinha de cabeceira –

Escrevo meu último poema
entre o verde e o aroma de café que sobe da cozinha…


6
Chiça!,
Já não queria
pensar em ti...


(Foto de Nana Sousa Dias)

4 comentários:

Eury disse...

Oi Lino

“Tudo vale a pena / se a alma não é pequena”.
Força!

Bjs
Eury

Paulino Dias disse...

Alô, Eury

Thanks pela visita!

Bjs,
Paulino

Carla Palavra disse...

Gostei especialmente deste post (dos que li) e tenho a certeza que de muitos mais gostarei. Parabens

Paulino Dias disse...

Many thanks, Carla!
Boa semana para ti,

Paulino